Quinta 25 Maio 2017
You are here: Entrada Segurança Condução Defensiva
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Condução Defensiva
Segunda, 18 Abril 2011 16:18
segu2A condução defensiva é a atitude e posição tomada pelo condutor no acto da condução, conduzindo de modo a prevenir acidentes. Este tipo de condução depende essencialmente da previsão e da antecipação, é um factor que a previsão é fundamental na antecipação de um perigo, a capacidade de prever dependente do conhecimento, experiência e atenção.

Através do conhecimento acumulado ao longo da sua experiência, o condutor reconhece situações que já lhe são familiares, a criança que surge atrás da bola, o peão que  atravessa a faixa de rodagem sem tomar as devidas precauções, etc., podendo assim prever o perigo e tomar atitudes defensivas, isto é, agir em antecipação ao perigo.

Cumpra o código da Estrada

Antes de começar a condução, coloque o cinto de segurança, verifique se o painel de instrumentos do seu veículo, para ver se eles nos informa de alguma anomalia.

Faça revisões periódicas ao automóvel para que ele possa responder com eficiência em situações de emergência. Os defeitos que mais causam acidentes são pneus gastos, falta de travões, problemas na suspensão, lâmpadas queimadas, etc.

Não conduza se não estiver em boas condições físicas e psicológicas, fadiga, entorpecimento ou excitação dos sentidos por ingestão de bebidas ou drogas, sonolência ou com problemas visuais ou auditivos.

Um dos primeiros testes que deverá realizar quando conduz, é testar os seus travões. O condutor também terá de conhecer o poder de aceleração da sua máquina, para a possibilidade de ter que realizar alguma ultrapassagem, mais tem de saber como é que o veículo se comporta nas curvas.

Nas estradas com grande inclinação, utilize o motor como travão nas descidas. Reduza a velocidade nas curvas e acelere levemente quando já as estiver fazendo. Se o carro avariar, coloque o triângulo de sinalização a 100 metros de distância.Tenha especial atenção as condições climáticas. Seja chuva, neblina ou nevoeiro, deve-se conduzir com mais prudência, utilize  os faróis de ne oeiro e reduza velocidade.

O início da chuva é o período mais perigoso, a água mistura-se com o pó, o óleo e o combustível misturam-se também, formando uma camada deslizante. Na chuva fraca, a falta de aderência prolonga-se, se o carro entrar em velocidade excessiva numa camada d'água, poderá ocorrer a aquaplanagem - fenómeno em que há perda de contacto entre pneus e a estrada, provocando o deslizamento do automóvel. Tire, então, o pé do acelerador, não toque no travão e nem faça movimentos bruscos com o volante. Retomará o controle do veículo assim que os pneus voltarem a entrar em contacto com a estrada.

A intensidade da luz solar pode prejudicar a visão. Nesse caso  utilize a pala interna do automóvel ou óculos escuros.

Modere a velocidade ao aproximar-se de Creches parques de jogos e diversões, hospitais, lares de idosos e outros locais onde é frequente o trânsito de peões, pois são eles os utentes mais vulneráveis da via pública.

Tenha principalmente atenção ás crianças, idosos ou a pessoas com algum tipo de  deficiência, ao atravessar a estrada  pois tem dificuldade em se movimentarem, as suas capacidades de avaliar a velocidade e distâncias do veículo são mais reduzidas, e no caso de crianças devido à sua impulsividade e espontaneidade podem tomar atitudes, como por exemplo, atravessar a faixa de rodagem a correr, menos correctas.Sinalize sempre as suas manobras, os condutores devem informar os outros utentes das suas intenções, através de sinalização adequada e com antecedência, para que os tempos de reacção sejam suficientes.

Cuidado com os Ângulos mortos – São zonas e pontos sem visibilidade, os condutores não conseguem ver através dos espelhos retrovisores. Olhe sempre que necessário para ambos os lados do seu automóvel, para se certificar que não existe nenhum veículo ao seu lado.

Quando trânsitar atrás de um Veículo Pesado, aumente a distância de segurança, pois devido às suas dimensões, ocultam parte da via, impedindo a visibilidade de sinais de trânsito, veículos, peões, etc.

É previsível que os veículos de duas rodas, não só para manterem o equilíbrio, como também, para se desviarem de pequenos obstáculos «poças de água, buracos, tampas de esgoto.» ou quando circulam a velocidades lentas se desviem da sua trajectória. Por isso, os condutores de outros veículos devem redobrar a sua atenção, quando se cruzem ou ultrapassem estes veículos, nomeadamente em relação ás distâncias laterais.

Devem, também, ter em conta a pouca largura dos veículos de duas rodas, que circulam em espaços pequenos, avançam entre veículos parados, alguns deles, nomeadamente os velocípedes circulam a velocidades lentas junto aos passeios e veículos estacionados, por isso, deve-se ter a precaução de observar e certificar que uma manobra como a mudança de via de trânsito, a mudança de direcção ou simplesmente a abertura de uma porta, não põe em risco estes veículos.

Uma das manobras mais perigosas é a ultrapassagem, ao iniciar esta manobra verifique sempre que não existe já outro veículo em ultrapassagem, sinalize a sua manobra com antecedência, indicando aos outros veículos a sua intenção. Tenha atenção á visibilidade, a deslocação do vento, condições da via  e ao veículo que vai ultrapassar pois sendo ele um veículo pesado o período de ultrapassagem é maior.

Ao ser ultrapassado não se distraia, mantenha a mesma velocidade, facilite a manobra a quem o vai ultrapassar. Muitas vezes, o condutor que tenta fazer a ultrapassagem, vira o carro para a direita, fugindo de outro veículo que vem na direcção contrária. Portanto, mantenha-se à direita sempre, domine a situação e verifique o trânsito no sentido contrário e na sua retaguarda. Sinalize para o outro condutor indicando se há ou não condições de ultrapassagem, reduza a velocidade e aumente a distância do carro da frente para que o outro possa se posicionar bem e em seguida, voltar à sua mão.

Cuidado nos cruzamentos. Ao  aproximar-se do cruzamento, reduza a velocidade e olhe com atenção, só depois avance. Não se apresse mesmo que alguém buzine.

Os condutores devem estar atentos às passagens de nível. Não se deve atravessá-las quando os sinais estiverem ligados. Espere antes de seguir olhe, escute e só atravesse quando tiver certeza de que o caminho está livre.
AddThis Social Bookmark Button
 

Quem está online?

Temos 26 visitantes em linha

Facebook MySpace Twitter Digg Delicious Stumbleupon Google Bookmarks RSS Feed